Henrique Alves articula permanência de Elias Fernandes no Dnocs até análise do TCU

 O deputado federal Henrique Alves (PMDB) luta para manter o ex-deputado estadual Elias Fernandes (PMDB) no comando do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) até que o Tribunal de Contas da União (TCU) analise o relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) que aponta desvios na ordem de R$ 312 milhões.
Segundo a mídia do eixo Rio/São Paulo/Brasília, Henrique está contando com a ajuda do vice-presidente Michel Temer para manter o apadrinhado no cargo. Por enquanto, o deputado potiguar tem tido êxito, mas existe o risco de Elias ser demitido em fevereiro.
O ex-deputado estadual também é acusado de favorecer o Rio Grande do Norte. Segundo o relatório, de 47 convênios, 37 foram com munípios potiguares.
Já Henrique Alves foi apontado por usar influência política para liberar recursos para obras da barragem de Oiticica, em Jucurutu. O superfaturamento da obra estaria na casa dos R$ 33 milhões.
Apesar dessa situação, já foi divulgado que mesmo em caso de demissão de Elias Fernandes, caberá a Henrique Alves a indicação do substituto. A sugestão já teria sido dada, mas o parlamentar potiguar teria rejeitado a ideia.
O peemedebista quer o mesmo prazo dado aos ministros Fernando Pimentel (Desenvolvimento Econômico) e Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional) se defenderem. 
Parlamentar nega motivos para demissão de Elias
Mais uma vez o deputado federal Henrique Alves usou o perfil dele no Twitter para defender o apadrinhado político envolvido na crise do Dnocs.
Para o parlamentar, todos os dados estão esclarecidos e não há motivos para a demissão de Elias Fernandes. "Aos que corretamente me perguntam sobre Dnocs esclareço com tranquilidade. CGU, órgão sério que respeito, fez relatório com questionamentos administrativos ao Dnocs. Ano passado, o Dnocs, cumprindo seu dever, respondeu. Melhor, esclareceu todos os itens. O Dnocs esclareceu todos itens levantados. Um por um. Inclusive com correta colaboração do Ministério do Planejamento na explicação de um deles e este envolvia questionamento sobre R$ 120 milhões em pagamentos de pessoal, etc. O Planejamento eximiu o Dnocs de qualquer responsabilidade! Demais questões foram analisadas e esclarecidas pelo Dnocs ratificadas em documento pelo ministro Fernando Bezerra", acrescentou.
Henrique disse ainda que toda a documentação enviada à CGU também será analisada pelo TCU. "Nem CGU nem Dnocs-Ministério da Integração são donos da verdade. Órgão autorizado para dirimir conflitos e decidir correção é o TCU. O que o Dnocs e Ministério querem é o direito ao contraditório. Prática essencial do regime democrático", declarou.
O parlamentar também negou novamente que o Rio Grande do Norte tenha sido favorecido pelo órgão. "Um dado, por exemplo: será que é 'privilégio do RN' receber R$ 12 milhões para 37 cidades de um total de R$ 243 milhões da Defesa Civil? 12 Estados tiveram. O RN teve 5 por cento do valor total! Numa luta danada ao lado dos prefeitos. Foi 'concentração de recursos' para o RN? A CGU diz que sim. Porque viram número de convênios - 37 - e assim julgaram. 37 porque divididos em 37 cidades, média de 400 mil cada! Privilégio? É esse julgamento sereno e rigoroso do TCU que queremos. Aceitamos qualquer decisão no final. É pedir o absurdo?", questionou.

Visto em: http://www.omossoroense.com.br/politica

Autor gazetabarauna

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Para Editá-lo no html ok
    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

0 Pessoas comentaram:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Vídeo do dia

RECOMENDO

2leep.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enquanto isso no Ocioso